Domingos Lobo

Domingos Lobo

A mostrar todos os 7 resultados

Domingos Lobo, nasceu em 1946, em Nagozela, Beira Alta, vindo com 15 dias para Lisboa, cidade onde estudou e viveu até à idade adulta. Começou por fazer teatro como actor, depois como autor e encenador. Passou pelo jornalismo e pelo teatro radiofónico. Estreou-se, como ficcionista, com um dos romances considerados canónicos sobre a Guerra Colonial, Os Navios Negreiros Não Sobem o Cuando. Seguiram-se Pés Nus Na Água Fria, As Máscaras Sobre o Fogo, As Lágrimas dos Vivos, Cartografia de Ossos – Música Sem Partitura e Faz Frio Neste Lado da Noite e, no âmbito da poesia, Voos de Pássaro Cego, Exaltação do Prazer – Antologia Poética Portuguesa, Erótica, Burlesca e Satírica do Século XVIII, com selecção, prefácio e notas suas. Todos estes livros foram editados pela Vega. Para além de ficcionista e poeta é igualmente dramaturgo e ensaísta, tendo, em 2005, reunido alguns textos de crítica e intervenção literária no volume Desconstrutor de Neblinas. O seu livro mais recente, de teatro, Não Deixes que a Noite se Apague, foi distinguido com o Prémio Nacional de Teatro Bernardo Santareno, de 2009. Tem textos de análise crítica publicados nas revistas, Vértice, Escritor, Revista Alentejo, Seara Nova, EntreLetras e Jornal do Brasil.