Dacia Maraini

Dacia Maraini

A mostrar todos os 2 resultados

Dacia Maraini nasceu em Florença, de pai toscano e mãe siciliana. Devido a estudos antropológicos que o pai realizava na altura a autora viveu os primeiros oito anos da sua vida no Japão. De 1943 (aquando do pacto bélico entre o Japão, a Alemanha e a Itália) até 1945 esteve detida, juntamente com os pais e duas irmãs, num campo de concentração nipónico uma vez que os pais se recusaram a reconhecer a república de Salò. Regressada a Itália no pós-guerra estudou em Palermo, Florença e Roma. Dacia Maraini é autora de dez romances entre os quais La Vacanza (1962); L’Etá de Malessere (1963); Memorie di una Ladra (1973); Donna in Guerra (1975); Isolina (1985, Prémio Fregene 1985, traduzido em cinco países); A Longa Vida de Marianna Ucrìa (1990, prémios Campiello e Livro do Ano 1990, traduzido em dezoito países, edição portuguesa da Vega), Voci (1994, prémios: Napoli 1995, Sibilla Aleramo 1995, traduzido em dez países); Dolce per Sé (1997, prémios: Vitaliano Brancati-Zafferana Etnea 1997, Città de Padova 1997, Internacional para a Narrativa Flaiano-Telecom Itália 1997, traduzido em três países). Escreveu variadíssimas peças teatrais duas delas representadas em mais de vinte países, múltiplos livros de poesia entre os quais se destacam: Viaggando com Passo de Volpe (1991, prémios: Mediterrâneo 1992, Città di Penne 1992); publicou em parceria com Piera Esposti várias obras de literatura infantil premiadas e traduzidas em vários países. Publicou igualmente ensaios e organizou antologias. Nas adaptações cinematográficas destacam-se: I Fiori Delle Mille e una Notte, de Pier Paolo Pasolini; Stori di Piera, de Marco Ferreri e A Longa Vida de Marianna Ucrìa, de Roberto Faenza.